Angelus de Bento XVI – 04 de Setembro de 2011

Angelus
Castel Gandolfo
Domingo,04 de Setembro de 2011

Queridos irmãos e irmãs

As leituras bíblicas da Missa deste domingo converge sobre o tema da caridade fraterna na comunidade de crentes que tem sua origem na comunhão da Trindade. O apóstolo Paulo diz que toda a lei de Deus encontra a sua realização no amor, portanto, em nossas relações com os outros, os Dez Mandamentos e outros preceitos se resume a isto: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo “(Rom 13,8-10). O texto do Evangelho, a partir do capítulo 18 de Mateus, dedicado à vida da comunidade cristã, diz-nos que o amor fraternal também tem um sentido de responsabilidade recíproca, para que, se meu irmão comete uma falta contra mim, Eu exercício da caridade para com ele e, acima de tudo, falar com ele pessoalmente, apontando que o que ele diz ou faz é errado. Essa conduta é chamada correção fraterna: não é uma reação à ofensa sofrida, mas é um gesto de amor para seu irmão. Santo Agostinho diz: “Ele ofendeu-te, e ofender, tornou-se uma ferida profunda: você não tem nenhuma preocupação com a lesão de seu irmão? (…) Portanto, esqueça o insulto que fez de ti, mas não o prejuízo sofrido por seu irmão “(Discurso 82, 7).

E se meu irmão não escuta? No Evangelho de hoje, Jesus conta uma graduação: em primeiro lugar, voltar a falar com duas ou três pessoas para ajudá-los se tornar mais consciente do que ele fez, se ele mesmo assim continua a empurrar essa observação, devemos dizer para a comunidade, e se ele não quer ouvir a comunidade, devemos fazê-lo perceber o que causou a separação, separando-se da comunhão do igreja. Tudo isso indica que há uma responsabilidade partilhada no caminho da vida cristã: todos estão conscientes de seus limites e suas falhas, é esperado para receber a correção fraterna e ajudar os outros com esse serviço específico.

Outro fruto do amor na comunidade é a oração harmoniosa. Jesus diz: “Se dois de vós na terra, unir suas vozes para exigir nada, isso será feito por meu Pai no céu. Apenas dois ou três, estão reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles “(Mt 18,19-20). Oração pessoal é certamente importante, até essencial, mas o Senhor garante a sua presença na comunidade – mesmo que seja muito pequeno – está unida e unânime porque reflete a realidade do Deus Uno e Trino, comunhão perfeita de o amor. Orígenes diz que “devemos exercer esta sinfonia” (Comentário ao Evangelho de Mateus 14, 1), que quer dizer que a harmonia dentro da comunidade cristã. Temos que exercer tanto a correção fraterna, que requer muita humildade e simplicidade de coração, que a oração, para que ele sobe para Deus em uma verdadeira comunidade unida em Cristo. Pergunte tudo isso através da intercessão da Santíssima Virgem Maria, Mãe da Igreja de São Gregório Magno, papa e doutor, que disse ontem na liturgia.

Depois do Angelus

Após o Angelus, o Papa cumprimentou os peregrinos em vários idiomas. Eis o que ele disse em italiano:

Hoje, o XXV Congresso Eucarístico Nacional abre em Ancona pela Santa Missa presidida pelo meu legado Cardeal Giovanni Battista Re próximo domingo, se Deus quiser, terei a alegria de ir para Ancona dia culminante do Congresso. Agora, dirijo a minha cordial Olá ea minha bênção a todos os que participam neste evento de graça que o Santíssimo Sacramento da Eucaristia, adorar e louvar a Cristo para a vida e esperança para todos os homens e do mundo.

Em seguida, o Papa dirigiu aos peregrinos de língua francesa:

Saúdo cordialmente os peregrinos de língua francesa, especialmente o grupo das Filhas de Maria Auxiliadora. Convido você a se tornar cada vez mais familiarizados com a Palavra de Deus! Chama-nos a amar uns aos outros. E este amor vai viver de uma forma muito concreta na vida diária, isto é, dar mais um tempo para um verdadeiro diálogo, respeito, perdoar, orar juntos e um para o outro. E pode nascer e crescer a fraternidade que Jesus veio estabelecer no seio das famílias, comunidades, países. Confio estes votos à Virgem Maria e os abençôo com todo meu coração.

Em seguida, os peregrinos da Itália, o Papa disse:

Por fim, dirijo uma cordial Olá a italiana peregrinos de língua, especialmente o grande grupo de ACLI – Associação Cristã de Trabalhadores Italianos – Reunião no final de seu estudo sobre o tema do trabalho, 30 anos depois da encíclica Laborem Exercens do Beato João Paulo II. Apreciei, queridos amigos, a sua atenção a este documento, que continua sendo um dos marcos da Doutrina Social da Igreja.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s