Invocação Mariana: Nossa Senhora da Boa Nova

A palavra Evangelho, embora derive diretamente do vocábulo latino “Evangelium”, tem sua origem remota num nome grego que significa “Boa Nova”. Antigamente referia-se ao sacrifício oferecido por ocasião do recebimento de uma boa notícia ou do presente dado a quem a transmitia. Mais tarde passou a designar a própria boa nova, sendo esta a acepção dos autores do Novo Testamento, para quem o Evangelho é em essência a Boa Nova dado ao mundo com a notícia da salvação dos homens, trazida por Jesus e pregada pelos Apóstolos.

O título de Boa Nova dado a Mãe de Deus é bem apropriado, porque Ela á a “Aurora de Cristo”, segundo a expressão de Teihard de Chardin, antes mesmo de Jesus se manifestar como Palavra, Maria já vivia a palavra oculta. Assim, a primeira pregação de Cristo foi a vida de Maria tal qual aparece nos relatos evangélicos.

Apesar da conotação moderna de Boa Nova relacionada à Virgem Santíssima como o centro do Evangelho, em alguns países, como a França e Portugal, esta invocação mariana derivou de outras boas novas dadas à população em lendárias aparições da Rainha do Céu.

O Santuário de Frouville, por exemplo, está ligado a interessante lenda. Contam que em 1560 um jovem pastor chamado Gulvin ou Gudin, que aos 18 anos acabara de fazer a sua primeira comunhão, estava muito preocupado por não poder juntar-se aos companheiros para assistir à missa, pois deveria conduzir seu rebanho ao bosque próximo. Ele se ajoelhou e rezou à Virgem Maria, que lhe apareceu e disse: “Dentro de três dias estarás comigo no céu”. O jovem contou sua extraordinária aventura à família, que três dias depois constatou a incontestável veracidade. O acontecimento repercutiu enormemente na região e grande número de enfermos se dirigiu ao local da aparição onde várias curas foram realizadas e diversas graças alcançadas. O povo viu então a necessidade de ali construir um santuário, que se tornou uma realidade, graças à generosidade do castelão local, o Sr. de Frouville. Até hoje inúmeros peregrinos para lá se dirigem durante o ano, principalmente na 2ª feira de Pentecostes, quando se celebra solenemente missa ao ar livre.

São veneradas ainda outras Senhoras das Boas Novas no país dos francos, como a de Chateau l´Eveque, que anunciou a ação heróica de Joana D’ Arc pela libertação da França; e a de Montaigut, que representa a Virgem adolescente de pé, sorrindo e com as mãos juntas com se estivesse anunciando ao mundo a chegada do Reino de Deus e a Salvação dos homens. Ela é muito venerada pelos soldados devido à sua eficaz proteção durante a guerra de 1870 e sua festa é celebrada no dia da Natividade.

Em Braga, Portugal, no ano de 1512, o arcebispo D. Diogo de Souza abriu a rua Nova do Souza e mandou edificar uma ermida dedicada à Virgem Maria. Ao saber da boa notícia, os moradores do bairro resolveram mostrar o seu reconhecimento, erigindo uma confraria para prover o culto da Senhora da Boa Nova.

Talvez algum membro daquela irmandade tenha vindo para o Brasil e trazido uma imagem desta Senhora para Salvador, pois existe na igreja da Ajuda uma antiga escultura barroca deste orago que dizem ter pertencido à velha “Sé de Palha” demolida no início do século XX para melhoramentos no bairro. Nossa Senhora da Boa Nova é também venerada em Boa Nova, diocese de Jequié (BA), e na paróquia de Vitória da Conquista, sede de Bispado e uma das cidades mais importantes do sul da Bahia.

Nossa Senhora da Boa Nova, rogai por nós!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s