A missão da Irmã Lúcia

A difusão da devoção ao Imaculado Coração de Maria foi a incumbência específica dada por Nossa Senhora a essa privilegiada vidente.

A visita da Virgem Maria foi para a Irmã Lúcia “o início de uma singular missão, à qual ela se manteve fiel até ao fim dos seus dias”, afirma o Papa João Paulo II na mensagem enviada ao Bispo de Coimbra, por ocasião das exéquias da quase centenária freira carmelita.

Qual foi em concreto essa missão? A resposta, encontramo-la nas “Memórias” de Lúcia.

A graça de Deus será vosso conforto

Com aquela celestial Senhora “vestida de luz”, a vidente manteve vários diálogos. Já na primeira aparição, a 13 de maio, perguntou-lhe:

– E eu também vou para o Céu?

– Sim, vais.

– E a Jacinta

– Também.

– E o Francisco?

– Também, mas tem que rezar muitos Terços. (…) Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido, e de súplica pela conversão dos pecadores?

– Sim, queremos.

– Ide, pois, ter que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto.

“Foi ao dizer estas palavras – esclarece a Irmã Lúcia, em suas memórias – que abriu as mãos, fazendo penetrar em nossos peitos o reflexo que delas expedia. A qual luz nos penetrava no peito e no mais íntimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente do que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso íntimo, também comunicado, caímos de joelhos e repetíamos intimamente: ‘Ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro. Meu Deus, meu Deus, eu Vos amo no Santíssimo Sacramento’.

“Passados os primeiros momentos, Nossa Senhora acrescentou: ‘Rezem o Terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra’.”

Jesus quer servir-Se de ti para Me fazer conhecer e amar

Na segunda aparição, a 13 de junho, Nossa Senhora confiou à Irmã Lúcia uma missão específica, dizendo-lhe:

– A Jacinta e o Francisco, levoos em breve, mas tu ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-Se de ti para Me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. A quem a abraçar, prometo a salvação, e serão queridas de Deus essas almas, como flores postas por Mim a adornar o seu trono.

E a eleita religiosa acrescenta: “Nossa Senhora me disse que nunca me deixaria e que seu Imaculado Coração seria o meu refúgio e o caminho que me conduziria a Deus”.

Comentando essa confortadora promessa da Santíssima Virgem, Jacinta expande-se com sua prima em manifestações de amor:

“Aquela Senhora disse que o seu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá a Deus. Não gostas tanto disto? Eu gosto tanto do seu Coração! É tão bom! Gosto tanto do Coração Imaculado de Maria! É o Coração da nossa Mãezinha do Céu! Tu não gostas tanto de dizer muitas vezes: Doce Coração de Maria! Imaculado Coração de Maria! Eu gosto tanto, tanto! Doce Coração de Maria, sede a minha salvação! Imaculado Coração de Maria, convertei os pecadores, livrai as almas do inferno!”

Eu fico mais algum tempo na terra

A designação de Lúcia para uma missão específica é relatada, com acréscimo de alguns pormenores, num diálogo entre os três pastorinhos a propósito da aparição de 13 de junho de 1917. Francisco pergunta à sua prima:

– Para que estava Nossa Senhora com um coração na mão espalhando pelo mundo essa luz tão grande que é Deus? Tu estavas com Nossa Senhora na luz que descia para a terra, e a Jacinta, comigo, na que subia para o Céu.

– É que tu, com a Jacinta, vais em breve para o Céu, e eu fico com o Coração Imaculado de Maria mais algum tempo na terra.

– Quantos anos ficas aqui?

– Não sei, bastante tempo!

– Foi Nossa Senhora quem o disse? – insiste Francisco.

– Foi. E eu o vi nessa luz que Ela nos fez penetrar no peito.

Ouvindo esta última afirmação, Jacinta exclama:

– É assim mesmo! Eu também assim o vi. Esta gente fica tão contente só por lhe dizermos que Nossa Senhora mandou rezar o Terço e que aprendesses a ler! O que seria se soubessem o que Ela nos mostrou em Deus, no seu Imaculado Coração, nessa luz tão grande! Mas isso é segredo, não se lhe diz. É melhor que ninguém o saiba.

Amor ardente ao Imaculado Coração

E em outro trecho das “Memórias”, a Irmã Lúcia escreve: “Parece-me que, naquele dia (13 de julho de 1917, terceira aparição), este reflexo teve por fim principal infundir em nós um conhecimento e amor especial para com o Coração Imaculado de Maria, assim como das outras duas vezes o teve a respeito de Deus e do mistério da Santíssima Trindade.
Desde esse dia, sentimos no coração um amor mais ardente pelo Coração Imaculado de Maria”.

Qual era a força desse amor, pode-se avaliar pela recomendação feita por Jacinta à Irmã Lúcia em julho de 1919, pouco antes de ir para o Hospital de Ourém: “Falta-me pouco para ir para o Céu. Tu ficas cá para dizeres que Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Quando for para dizeres isso, não te escondas. Diz a toda a gente que Deus nos concede as graças por meio do Coração Imaculado de Maria, que as peçam a Ela. Ah! se eu pudesse meter no coração de toda gente o lume que tenho cá dentro no peito a queimar-me e a fazer- me gostar tanto do Coração de Jesus e do Coração de Maria!”

Fonte: Arautos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s