Virgem da Revelação – Très Fontane – Roma

Bruno Cornachiola nasceu em 1913. Tinha mais cinco irmãos e vivia numa família com problemas de relacionamento. Com 14 anos, saiu de casa e viveu como andarilho pelas ruas de Roma. Casou-se com 23 anos. Foi a Espanha, como voluntário, para lutar a favor dos comunistas na guerra civil. Lá fez amizade com um fanático protestante alemão e com ele decidiu lutar contra o catolicismo. Em 1939, retornou à Itália odiando a Igreja Católica e nutrindo o proposito de matar o Papa. Fez de tudo para afastar a esposa do catolicismo; queimou as imagens dos santos e um crucifixo que a esposa tinha em casa. Depois, a esposa, para evitar brigas, deixou de frequentar a Igreja Católica.

No dia 12 de abril de 1947, Bruno e os três filhos foram passear no parque das Trè Fontane, onde, segundo a tradição, São Paulo foi decapitado. Enquanto os filhos brincavam, Bruno escrevia alguns tópicos para a conferencia que faria, para demonstrar que Nossa Senhora não era virgem, nem imaculada, nem levada ao céu. De repente, o filho menor Gianfranco, em busca da bola, desaparece. O pai é avisado. Todos procuram. Os dois irmãos entram na gruta e veem o irmãozinho ajoelhado e dizendo: “Bela Senhora!” Ao se aproximarem, caem também de joelhos e repetem: “Bela Senhora!” Bruno continua chamando os filhos e estes não respondem. Vê-os ajoelhados. Entra na gruta, passa diante dos filhos e exclama: “Deus, salva-nos!” Ao dizer isto, sente duas mãos que lhe tocam os olhos e ele os fechas. Quando os abre vê a “Bela Senhora”. Nesta hora uma grande alegria lhe invade o coração. Nossa Senhora trazia na mão direita uma Bíblia, com isto Ela lhe dá a entender que a Virgindade, Imaculada e Assunção aos céus têm base na Bíblia e que a Revelação está escrita nela. Bruno ouve: “Eu sou a Virgem da Revelação”. Tu me perseguiste. Agora basta! Entra na Santa Grei. O Deus prometido é e fica imutável. As nove sextas-feiras ao Sagrado Coração que fizeste, forçado pelo amor de tua fiel esposa, antes que tu tomasses definitivamente a estrada do erro, te salvaram!”

Nossa Senhora pede a Bruno que procure um sacerdote indicado por Ela e dá-lhe uma mensagem que deveria ser levado ao Santo Padre.

Ao retornarem para casa, as crianças contaram à mãe o que havia acontecido.

Bruno mudou de vida daquele dia em diante. Encontrou depois de muito tempo, o sacerdote indicado por Nossa Senhora, o qual o instruiu sobre as verdades da fé católica.

Em 09 de dezembro de 1949, Bruno se encontrou com Pio XII e a ele comunicou a mensagem da Virgem. O papa Pio XII já sabia, através da vidente Luigina Sinapi (1916 – 1978), que em 1937 houve uma aparição de Nossa Senhora na mesma gruta. Nesta ocasião Ela lhe disse: “Eu retornarei a esse mesmo lugar para converter um homem que lutará contra a Igreja de Cristo e desejará assassinar o Santo Padre. Vai agora à Basílica de S. Pedro e lá encontrarás uma religiosa que te fará conhecer o seu irmão, que é um cardeal. A ele deves levar a mensagem. Deverás dizer ao cardeal que logo mais ele será o novo papa”.

A vidente foi a Basílica e encontrou a marquesa Pacelli, irmã do cardeal Eugenio Pacelli, a qual a levou ao irmão. “O cardeal depois de ouvi-la, disse: Se são flores, florirão”.

Assim se entende porque em 1947, o papa logo acreditou nas aparições de “Trè Fontane” e, alguns meses depois em 05 de Outubro, benzeu a estátua da Virgem Maria que seria colocada na Gruta.

O papa encontrou-se várias vezes com a vidente Luigina Sinapi. Também a esta Nossa Senhora deixou mensagens. Disse a ela; “Eu sou a Mãe de Deus e por isso a Mãe de todos os homens e também tua. Sofra e expie por todos os povos. Eu vos levarei a todos, com o meu amor, a Jesus. Para aqueles que tu me confiaste eu digo: Sedes fortes e tomai os sofrimentos com mais amor. Os homens devem compreender que os sofrimentos preparam para as graças…”

Voltando a falar sobre Bruno, este, retornando a “Trè Fontane”, teve outras aparições neste lugar. No dia 5 de maio de 1947 ele estava agradecendo a graça da conversão, quando Nossa Senhora lhe apareceu sorridente, sem falar. Era maneira de mostrar sua alegria pela volta do filho pródigo. Alguns anos depois, Ela apareceu e lhe disse: “Neste lugar quero ter um santuário e ser venerada com os novos títulos: VIRGEM DA REVELAÇÃO E MÃE DA IGREJA. A minha a casa deve estar aberta para todos, a fim de que possam entrar nela, a casa do socorro, e se converterem. Os sedentos e confusos virão aqui para rezar e encontrar o sentido da vida”.

Deus é fiel em suas promessas. Salva Bruno porque fez as primeiras sextas-feiras do mês, em desagravo ao Coração de Jesus. Cristo envia sua Mãe para trazê-lo à verdadeira Igreja, a Católica.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Virgem da Revelação – Très Fontane – Roma

  1. Pingback: Nossa Senhora da Revelação em Très Fontane (1) | Amor a Nossa Senhora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s