A Mensagem Bíblica do Ofício de Nossa Senhora da Conceição

Postado em Atualizado em

MATINAS E LAUDES

Filha, Mãe, Esposa

Maria Ssma. Vive a plena comunhão com a Ssma. Trindade. Assim disse o Concílio Vaticano II: “Maria é adotada com a missão sublime e a dignidade de ser Mãe do Filho de Deus, e por isso, filha predileta do Pai e sacrário do Espírito Santo” (Constituição Lumen Gentium, n.º 53). E o Documento dos Bispos reunidos em Puebla acrescenta: “A Virgem Imaculada vive agora imersa no mistério da Trindade, louvando a glória de Deus e intercedendo pelos homens” (n.º 293).

Virgem das virgens

Modo hebraico de exprimir o superlativo. Nossa Senhora é a mais santa de todas as Virgens.

Estrela da Manhã

No livro do Apocalipse, por duas vezes Jesus Cristo é apresentado como a “estrela da manhã”: Ap 2, 28 e 22, 16. É por meio dele que o mundo sai das trevas do pecado e entra na plena luz da graça. Aqui no Ofício, a expressão refere-se a Maria, por meio da qual é anunciada a vinda do Sol da Justiça, o Salvador.

Deus vos salve, Cheia de Graça

Foi essa a saudação do anjo Gabriel a Maria na anunciação (Lc 1, 28). A graça divina fez de Maria um jardim ornado de todas as virtudes.

Já Lá AB Aeterno

Se cada um de nós é escolhido e chamado por Deus antes da criação do mundo – como diz São Paulo em Ef 1, 4 – com mais razão Maria, desde toda eternidade, estava destinada por Deus para ser Mãe do Salvador.

Como o Verbo, Deus criou Terra, Mar e Céus

É o que diz o Evangelho de São João 1, 3: “Tudo foi feito por meio dele”. Assim também está no Salmo 32, vv. 6 e 9: “Pela Palavra do Senhor foram feitos os céus; Ele disse e tudo foi feito. Ele ordenou e tudo existiu”. Essa Palavra de Deus criadora veio morar entre nós e tomou forma humana, encarnando-se no seio de Maria: é Jesus, o Filho do Pai Celeste, a 2.ª Pessoa da Ssma. Trindade (Jo 1, 14).

Quando Adão pecou, Vos escolheu por esposa

Diz Gn 3, 15 que Deus prometeu à raça humana a vitória final sobre a serpente: por isso, esse texto é chamado de “Proto-evangelho”, primeiro anúncio da salvação. Comentando essa passagem, assim escreveu o Papa São Pio X: “vendo no futuro, Maria esmagar a cabeça da serpente, Adão estancou as lágrimas que a maldição arrancava de seu coração” (Encíclica Ad diem illum, de 02.11.1904). No plano de Deus, assim como o primeiro homem e a primeira mulher tinham causado a ruína da humanidade, assim também um Homem e uma Mulher seriam o início da redenção do mundo.

Deu-lhe morada em seu Tabernáculo

“Felizes os que habitam em vossa casa, Senhor; aí eles vos louvam para sempre!” (Sl 83, 5). A casa de Maria foi a casa de Deus no mundo durante os trinta anos da vida oculta de Jesus. Mas ela viveu sempre na presença do Senhor e por isso viveu em íntima comunhão com Ele; assim Deus a acolheu em seus tabernáculos eternos no dia da sua Assunção.

PRIMA

MESA, COLUNA, CASA

No livro dos provérbios, lemos que “a Sabedoria (divina) construiu a sua casa, plantando sete colunas. Preparou o banquete, misturou o vinho e pôs a mesa. Enviou as suas criadas para anunciar … Vinde comer do meu pão e beber do vinho que misturei” (Pr 9, 1-3). Nossa Senhora é a casa escolhida por Deus para Jesus vir morar entre nós. Ele que no Banquete Sagrado da Eucaristia se nos apresenta nos sinais do Pão e do Vinho.

Mãe Criadora dos Mortais Viventes

“Enquanto peregrinamos, Maria será a mãe e a educadora da fé. Ela cuida que o Evangelho nos penetre intimamente, plasme nossa vida de cada dia e produza em nós frutos de santidade” (Documento de Puebla, n.º 290). Ao pé da cruz, Maria recebeu de Jesus agonizante a missão de ser mãe de todos os que seriam discípulos dele (Jo 19, 26). Eva foi a mãe de todos os viventes na ordem da natureza (Gn 3, 20); Maria “se tornou para nós mãe na ordem da graça” (Concílio Vaticano II, Constituição Lumen Gentium, n.º 61).

Porta dos Santos

Ou porta do Céu, como se reza na Ladainha, significa que Maria intercede por nós para que sejamos dignos de receber a recompensa dos santos, o céu. Por isso, rezamos com a Igreja: “Depois deste desterro, mostrai-nos Jesus”.

Forte esquadão contra o inimigo

No Cântico dos Cânticos, livro que celebra a beleza do amor humano dos esposos, a expressão “terrível como um exército em ordem de batalha” é um dos elogios que o esposo faz à sua amada (Ct 6, 4.10). Esse Cântico é todo ele aplicado à Aliança de amor que existe entre Deus e Seu Povo, Aliança esta que os Profetas descreveram em termos de Matrimônio (Os 2, 12-22; Jr 2, 2; Is 62, 4-5). Por ser Maria a representante máxima desse Povo amado por Deus, aplica-se a ela o que o Cântico diz da esposa. Diante do poder de Maria, fogem as forças do mal; ela defende seus filhos nas batalhas que têm de travar para se manterem fiéis a Deus.

Estrela de Jacó

O profeta Balaão, chamado pelo rei Balac para amaldiçoar o povo de Israel, desobedeceu à ordem do rei e predisse num célebre oráculo que “uma estrela sairá de Jacó” (Nm 24, 17), isto é, do povo hebreu nascerá um chefe, que vencerá os inimigos. Neste anúncio do Messias, está também incluída sua Mãe, e por isso o nosso Ofício vê em Maria aquela estrela, que vai trazer a salvação ao Povo.

Refúgio do Cristão

Nossa Senhora é representada também como exercendo a mesma função que tinham no Antigo testamento as cidades de refúgio (Js 20, 3), onde podiam se abrigar os que tivessem cometido algum delito. Maria, Mãe de misericórdia, intercede pelos pecadores, libertando-os da morte eterna.

TERÇA

TRONO DO GRÃO SALOMÃO

Tão belo e luxuoso era o trono do grande rei Salomão, que a Bíblia exclama: “Nada de semelhante se fez em reino algum!” (1Rs 10, 20). Era de marfim, todo revestido de ouro puro. Para aquele que seria superior a Salomão (Mt 12, 42), Deus preparou em Nossa Senhora um trono infinitamente mais belo e nobre, enriquecendo-a com toda espécie de graça.

Arca do Concerto ou Arca da Aliança

Desde os tempos do Êxodo, a arca foi o sinal da presença de Deus nomeio do seu povo (Êx 25, 10-22). Era o lugar do encontro entre Deus e o povo. Nela se guardavam as tábuas da lei mosaica, o maná que alimentou os hebreus no deserto, e a vara de Aarão que floresceu milagrosamente. Jesus é o novo Moisés, que no Sermão da Montanha pregou a nova Lei (Mt 5-7). Deixou-nos na Eucaristia o alimento, figurado no maná, que nos conduz até a pátria celeste (Jo 6, 32-33). E a vara de Aarão simboliza a virgindade de Maria que, sem concurso humano, gerou o Salvador. A força do Altíssimo envolveu Maria com sua sombra (Lc 1, 35), assim como a nuvem da presença divina enchia o Tabernáculo onde repousava a Arca da Aliança.

Velo ou Gedeão

Velo ou tosão é o couro do carneiro com a lã. Gedeão, que foi Juiz em Israel, obteve de Deus um duplo sinal de sua futura vitória contra os madianitas: primeiro, só o velo se umedeceu de orvalho e toda a terra ao redor permaneceu seca; depois, foi o contrário: enquanto o velo ficou seco, tudo ao redor apareceu molhado (Jz 6, 36-40). O orvalho que desce antes sobre o velo e depois sobre toda a terra representa a plenitude de graça que Maria recebeu, para depois comunicá-la à humanidade inteira.

Íris do Céu

O arco-íris, que apareceu no céu depois do dilúvio, tornou-se o sinal da Aliança entre Deus e os homens; ao vê-lo, Deus se lembraria da sua intenção misericordiosa de não mais castigar os homens com um novo dilúvio (Gn 9, 12-17). Maria anuncia que chegaram os tempos do perdão: por meio dela nasce o Rei Pacífico que veio, não para condenar o mundo, mas para salvá-lo (Jo 3, 17).

Sarça da Visão

Deus chamou Moisés para libertar seu povo, aparecendo-lhe numa sarça, que ardia sem se consumir (Êx 3, 1-6). Nossa Senhora está simbolizada na sarça, porque deu à luz o Libertador do mundo, sem prejuízo da sua virgindade.

Favo de Sansão

Sansão encontrou um favo de mel dentro da ossada de um leão, morto por ele tempos atrás (Jz 14, 5-18). No seio da humanidade morta pelo pecado. Deus encontra aquela que na Salve-Rainha chamamos de “doce Virgem Maria”.

Florescente Vara

“Um ramo sairá do trono de Jessé”, disse o Profeta Isaías (11, 1). Jessé foi o pai do grande rei Davi, de quem Jesus era chamado filho (Mt 21, 9), por ser descendente seu. Maria é aquele ramo que floresce, quando dela nasce Jesus.

SEXTA

ALEGRIA DOS ANJOS

Os anjos anunciaram aos pastores aquela que seria a grande alegria para todo o povo: o nascimento do Salvador, o Cristo Senhor, e cantaram alegres os louvores de Deus (Lc 2, 10-13).

Horto de Deleites

Nossa Senhora é figurada naquele paraíso de delícias, onde viveram os primeiros Pais (Gn 2, 8). Porque ela é um verdadeiro jardim onde o Espírito Santo plantou as mais belas virtudes.

Palma de Paciência

Maria conquistou a palma da vitória pela paciência e constância que demonstrou, associando-se ao sacrifício do Seu Filho e “consentindo com amor na imolação da vítima por ela mesma gerada” (Concílio Vaticano II, Constituição Lumen Gentium, n.º 58).

Terra Bendita e Sacerdotal

Deus disse a Adão que, como castigo do seu pecado, a terra seria maldita, produzindo cardos e espinhos (Gn 3, 17). A Virgem Ssma., porém, é comparada àquela terra prometida, a terra santa, que mana leite e mel (Êx 3, 8). É uma terra sacerdotal, porque dá à luz o Cristo, Sumo e Eterno Sacerdote (Hb 9, 11).

Cidade do Altíssimo

Na Bíblia, a Cidade Santa de Deus é Jerusalém, com a qual Ele faz uma Aliança de amor (ls 61, 10; Ap 21, 2). A Igreja inteira está representada nesta imagem da nova Jerusalém, mas sobretudo Aquela que é a Mãe da Igreja, escolhida para habitação de Deus na terra; com Ela Deus celebrou o seu Matrimônio místico, fazendo-a Esposa do Espírito Santo.

Porta Oriental

Diz o Profeta Ezequiel (46, 1-3) que a porta oriental do Templo de Jerusalém é o lugar por onde entra o príncipe; todo o povo da terra se prostra junto a essa entrada. Por meio de Maria, Deus entra na história humana, realizando o grande milagre da Encarnação do seu Filho Único, o Príncipe dos reis da terra (Ap 1. 5). E por isso todas as gerações proclamam as grandezas de Maria (Lc 1, 48).

Lírio

Essa comparação do lírio entre os espinhos é tirada do Cântido dos Cânticos (Ct 2, 2). No seu livro “Glórias de Maria”, Santo Afonso de Ligório imagina Deus dirigindo-se a Nossa Senhora com estas palavras: “Filha por excelência entre o resto das minhas filhas, sois como o lírio entre os espinhos, pois todas as outras foram manchadas pelo pecado, e só vós fostes sempre imaculada e sempre minha amiga”.

NOA

CIDADE DE DAVI,

GUARNECIDA DE TORRES

O rei Davi construiu sua capital, Jerusalém, como uma cidade bem fortificada, para resistir a todos os ataques dos inimigos (2Sm 5, 9; Ct 4, 4). Assim, Maria é aquela criatura santa, que nunca foi vencida pelo pecado; toda cheia de graça, foi sempre fiel a Deus. É nisso exatamente que consiste o privilégio da sua Imaculada Conceição, que “nos apresenta em Maria o rosto do homem novo redimido por Cristo, no qual Deus recria de modo ainda mais admirável o provejo do paraíso” (Puebla, n.º 298).

A Força do Dragão foi por vós prostada

Após o pecado dos primeiros Pais, quando Deus amaldiçoou a serpente, Ele anunciou que a descendência da Mulher haveria de esmagar-lhe a cabeça (Gn 3, 15). Por isso, Nossa Senhora da Conceição é representada com a cobra debaixo dos pés. Trazendo ao mundo o Salvador, ela deu início à vitória do Bem sobre o Mal.

Mulher Forte

O livro dos Provérbios (31, 10-31) faz o elogio da perfeita dona-de-casa, que se mostra solícita, corajosa e operante em tudo o que faz. Em todos os tempos, inclusive hoje, existem mulheres que vivem esse ideal de doação total. Porém, mais que todas, Maria sempre teve essa fortaleza de ânimo, para executar sua missão no lar e na sociedade. Foi ela “a mulher forte, que conheceu a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio; é modelo para que os que não aceitam passivamente as circunstâncias adversas da vida pessoal e social, nem são vítimas da alienação” (Puebla, n.ºs 297, 302); tornou-se assim exemplo para a mulher contemporânea, desejosa de participar com poder de decisão nas opções da Comunidade (Paulo VI, Exortação Apostólica Marialis Cultus, n.º 37).

Invicta Judite

A Igreja exalta a Mãe de Deus com as mesmas palavras com que os hebreus festejaram o triunfo desta mulher corajosa que, arriscando a vida, cortou a cabeça do general inimigo, e assim salvou seu povo: “Tu és a glória de Jerusalém! És a alegria de Israel, a honra do nosso povo!” (Jt 15, 9).

Alentaste o Sumo Davi

Na história de Davi se conta que ele, estando já velho, mandou que lhe procurassem uma jovem esposa, para o assistir e cuidar dele. Procuraram em todo o território de Israel e trouxeram-lhe uma jovem belíssima, chamada Abisag de Sunam, que o serviu e se tornou sua esposa, mas permaneceu virgem (1Rs 1, 1-4). Cristo realizou as esperanças que o povo colocava em Davi; por isso, ele foi reconhecido como um novo Davi, um filho de Davi. A seu lado, Nossa Senhora tornou-se a esposa virginal de Deus.

DO EGITO O CURADOR

O salvador do Egito, durante os sete anos de fome, foi José, que nasceu de Raquel, esposa predileta de Jacó (Gn 30, 22-24). Raquel é figura de Maria, a criatura preferida de Deus, predestinada a ser Mãe do Salvador do mundo.

TODA É FORMOSA MINHA COMPANHEIRA

Para o homem que ama ternamente sua esposa, ela é toda bela e sem defeito; é esse mais um elogio que o amado faz à sua amada no Cântico dos Cânticos (Ct 4, 7). Ele se aplica a Maria num grau eminente: ela jamais teve qualquer mancha de pecado, sendo toda ornada de virtudes.

VÉSPERAS

RELÓGIO ATRASADO,

SINAL DO VERBO ENCARNADO

O episódio bíblico referido aqui é o da cura obtida pelo rei Ezequias por intervenção do Profeta Isaías. Quando este anunciou ao rei que ele ficaria curado, ele não quis acreditar, sem antes ver um sinal do céu, que confirmasse as palavras do Profeta. Isaías então disse que a sombra do sol, com a qual se marcavam as horas no relógio solar, haveria de atrasar dez graus, como se as horas do dia voltassem atrás (2Rs 20, 8011; Is 38, 7-8).

Para entendermos que semelhança pode haver entre esse relógio e Maria Ssma., temos de ler a estrofe seguinte, que fala da descida de Deus até junto das criaturas. O Verbo se humilhou, tomando a forma de servo (Fl 2, 7), quando se encarnou no seio de Maria; o sol que retrocede representa o Cristo que se rebaixa fazendo-se homem. Então Maria é comparada com o relógio, no qual se realiza essa aniquilação do Sol divino.

SOL DA JUSTIÇA

Deus prometeu através do PROFETA Malaquias: “Para vós que temeis o meu Nome, brilhará o Sol da Justiça” (Ml 3, 20). Esse Sol é o Cristo Salvador, que faz Maria resplandecer com sua luz, pois Ele é a luz do mundo (Jo 8, 12). Por isso, São João viu Maria no Apocalipse como “uma mulher vestida com o sol” (Ap 12, 1).

OS CEGOS ERRADOS VÓS ALUMIAIS

A nós, que muitas vezes erramos o caminho, cegados pelas ilusões do mundo. Nossa Senhora nos aponta Aquele que é o “Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14, 6), dizendo-nos como nas Bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).

COM NUVENS COBRISTES O MUNDO

A frase é tirada de Eclo 24, 6 e, aplicada a Nossa Senhora, exprime o que disseram os Bispos em Puebla: “Maria não vale apenas pela Igreja. Tem um coração tão grande quanto o mundo e intercede ante o Senhor da história por todos os povos. Isto bem registra a fé popular, que põe nas mãos de Maria, como Rainha e Mãe, o destino de nossas nações” (n.º 289).

COMPLETAS

RAINHA DE ESTRELAS COROADA

Em Ap 12, 1 aparece no céu, como um grande sinal, a Mãe do Messias, coroada de doze estrelas. A Liturgia aplica esse texto à Assunção de Maria, na qual “se nos manifestam o sentido e o destino do corpo santificado pela graça. No corpo glorioso de Maria começa a criação material a ter parte no corpo ressuscitado de Cristo. Maria, arrebatada ao céu, é a integridade humana, corpo e alma, que agora reina intercedendo pelos homens, peregrinos na história” (Puebla, n.º 298).

SOBRE OS ANJOS SOIS PURIFICADA

Mais pura que os anjos, Nossa Senhora tem uma santidade maior que a deles. Ela é a mais sublime das criaturas.

ESTAIS DE OURO ORNADA

O Salmo 44, composto para celebrar as núpcias do rei, descreve o cortejo formado pelas princesas que conduzem os monarcas. A rainha que traja vestes douradas e está à direita do rei (v. 10) simboliza Maria que, “ao lado do Rei dos séculos, resplandece como Rainha e intercede como Mãe” (Paulo VI, Exortação Apostólica Marialis Cultus, n.º 6).

SEGURO PORTO AOS NAVEGANTES

Para os que enfrentamos as tempestades deste mundo, Maria é “vida, doçura, esperança nossa”. Santo Afonso de Ligório ensinou nas Glórias de Maria que a devoção a Nossa Senhora é sinal seguro de salvação: afirmou também que um verdadeiro devoto de Maria não se perde, pois Ela tudo alcança junto de Seu Filho em favor dos que A invocam.

ESTRELA DO MAR

Santo Tomás explica assim esse título de Maria: ” Assim como por meio de estrela do mar os navegantes são orientados para o porto, assim os cristãos por Maria são conduzidos para a glória”.

SAÚDE CERTA

Na Ladainha também invocamos Maria como “saúde dos enfermos”. Por meio de sua poderosa intercessão, recuperam a saúde os doentes de qualquer espécie. Como Seu Filho “passou pelo mundo fazendo o bem” (At 10, 38), Nossa Senhora não se cansa de zelar pela felicidade de seus filhos.

PORTA PARA O CÉU ABERTA

“Por Maria foi aberta para todos a porta do paraíso, a qual por meio de Eva tinha sido fechada” – diz o Breviário.

ÓLEO DERRAMADO

Essa imagem é tirada de Ct 1, 2: “Teu nome é como um óleo escorrendo”. O óleo tem as propriedades de alimentar, curar, fortalecer, perfumar, inflamar; assim, os que invocam o Nome de Maria com confiança experimentam em sua vida que ” a devoção à Virgem Ssma. É um auxílio poderoso para o homem em marcha para a conquista da sua própria plenitude” (Paulo VI, Exortação Apostólica Marialis Cultus, n.º 57)

Fonte: Casa de Formação Shalom

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s